Escola da rede municipal de ensino de Florianópolis promove semana da pessoa com deficiência intelectual e múltipla

Unidade desenvolve atividades a fim de conscientizar estudantes

Inclusão social é o conjunto de ações que garante a participação igualitária de todos na sociedade. É na escola que as crianças aprendem o significado desta palavra. A inclusão escolar consiste em ações inclusivas dentro da instituição de ensino, que é parte primordial para formar cidadãos conscientes livres de preconceitos.

A Escola Básica Municipal Osmar Cunha, localizada em Canasvieiras, sabe a importância de fomentar ações inclusivas dentro e fora da unidade. Todos os anos é promovido a semana da pessoa com deficiência, onde atividades, palestras e vídeos são passados para os estudantes a fim de conscientizá-los.

Dos dias 21 a 25, a garotada do 1º ao 9º ano passará pelas mesmas situações que um deficiente passa. Com a participação dos professores de educação física, jogos como futebol vendado, golbol, vôlei sentado, jogo de bocha e caminhada com os olhos vendados serão as atividades físicas dos estudantes.

Para o secretário Maurício Fernandes Pereira, ex-conselheiro titular do Conselho Nacional dos Direitos das Pessoas com Deficiência, é importante que a comunidade escolar debata sobre o tema, para que propostas e melhorias sejam realizadas para atender todos os estudantes, visando a inclusão das crianças dentro e consequentemente fora do ambiente escolar.

Atleta-guia

Você sabe o que é um atleta-guia? O atletismo paralímpico é praticado por atletas com deficiência visual ou física. Os atletas-guia orientam a direção dos competidores com limitações de grau mais avançado na visão. O guia tem um papel importante nas competições e treinos, já que sua função é ser os olhos do seu parceiro.

Heitor Sales, atleta-guia, marcou presença no evento escolar. O esportista participou das paraolimpíadas, e contou para as crianças a experiência, além de estimular o debate sobre inclusão nos esportes.

Outro convidado especial conversou com a garotada. Ricardo Pimenta é formando em educação física, professor e doutorando na Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Ele ensinou para os estudantes as técnicas de golbol. Pimenta atua em programas de atividades físicas adaptadas para crianças com deficiência.

Formação

Nesta quinta-feira os professores da unidade de ensino tiveram formação com duas palestras. Pela manhã, as criadoras do aplicativo Domlexia, Nadine Heisler e Sabrina Vieira da Luz ministraram sobre o tema dislexia. No período vespertino, Ivani Voos professora do IFSC, palestrou sobre educação especial na perspectiva inclusiva.

AFLODEF

A garotada terá outra experiência: assistir e jogar basquete sobre cadeiras de rodas. A equipe da Associação Florianopolitana de Deficientes Físicos (AFLODEF) fará uma dinâmica com os estudantes.

Sala multimeios

Outras atividades foram desenvolvidas a fim de conscientizar a comunidade escolar. Murais foram confeccionados para divulgar a sala multimeios e a sua importância para o aprendizado de estudantes com deficiência. Vídeos informativos sobre o tema “respeito às diferenças” foram reproduzidos para os estudantes do 1º ao 9º ano.

A rede municipal de ensino conta com 31 espaços constituídos de mobiliários, materiais didáticos, recursos pedagógicos e de acessibilidade e equipamentos específicos. O objetivo das salas multimeios é fornecer um atendimento educacional especializado para as quase 900 estudantes com deficiência visual, auditiva, intelectual, motora, física ou múltipla, Transtorno do Espectro Autista (TEA) e Altas Habilidades/Superdotação.

Encerramento

No sábado (25), será o encerramento da semana. Pais e professores terão um momento de troca: conversas e dinâmicas serão desenvolvidas a fim de conscientizar a comunidade escolar. Vídeos com depoimentos de pessoas com deficiências físicas, autismo e síndrome de Down serão reproduzidos para os pais. Após o evento será servido um café.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *