Moda Agênero: o que é e como usar?

Para o primeiro post da coluna de moda do Portal Continental eu quero falar de um conceito que vai estar presente com frequência nas entrelinhas por aqui: A moda Agênero!

Essa tendência vem ganhando força já há alguns anos, mais especificamente a partir dos anos 2000 (aguardem que vem post com esse tema em breve).

Inicialmente transgredir os padrões de gênero nos looks exigia uma “licença poética” que apenas celebridades e personalidades da mídia tinham, mas graças a elas, as pessoas puderam literalmente sair de dentro dos seus armários pra se aventurar no armário alheio.

Avril Lavigne e Gwen Stefani fizeram as garotas roubarem a gravata dos pais e o moletom dos namorados. Antes disso ainda, Freddie Mercury já sabia exatamente como combinar uma legging brilhante com um bigode cheio. Mas desde aquela época as coisas vem se transformando e os conceitos se adaptando aos dias atuais, que exigem um entendimento maior do impacto social de algo que era apenas uma tendência.

Depois do grande boom nos anos 2000 a moda agênero ficou mais tímida, aparecendo vez ou outra em algumas tendências e conceitos, como a criação dos setores “unisex” nas lojas de departamento, que não muito tempo depois desapareceram. Mas quando a questão do gênero ganhou força recentemente ela trouxe junto uma necessidade de se falar de estética, de impressão e de moda. O movimento ressuscitou de vez e ganhou força.

Dito isso vamos desenhar o que se entende por Moda Agênero em 2018.

Ao contrário da ideia da década passada, a moda sem gênero não significa mais vestir “a roupa que pertence ao gênero oposto” nem criar roupas que “sirvam para os dois gêneros”. A ideia é desconstruir o conceito de gênero nas vestimentas. Não existe mais “roupa de mulher” e “roupa de homem”, os esforços agora são pra repensar a moda criando roupas pra pessoas, independente de como se identifiquem.
Só existe uma regra, se sentir tão bem dentro da sua roupa quanto você se sente dentro da sua pele. Você tem que se sentir confortável pra expressar sua personalidade através do que gosta de vestir. E pra isso um conceito básico norteia e amarra toda essa ideologia: fazer roupas para todos os tipos de corpos diferentes independente do gênero. Cada pessoa é única, portanto existe uma modelagem, ou um tecido, e principalmente uma proporção diferente e ideal pra cada um.

Calma eu não fiquei maluco. Sei bem como roupas sob medida são caras e raras, mas da sim pra ter um estilo neutro sem precisar recorrer a uma costureira, e sem precisar desembolsar muita grana.

Infelizmente as lojas de departamento, apesar de alguns poucos esforços, ainda dividem os ambientes em setores feminino e masculino, mas se eles aindam não conseguiram desconstruir esse padrão cabe a nós dizer adeus pra ele. Comece a olhar a loja inteira como uma unidade, a blusinha perfeita pra você pode estar logo ali no setor ao lado. Basta ser criativo pra reimaginar as formas de usar determinadas peças.

View this post on Instagram

🌈 @adorofarm | @inspirafarm #farmboy 💜 @rockmgt

A post shared by Alencar Reinhold (@alencarreinhold) on

Mas nem só de criatividade se movimenta essa onda, tem muito empreendedorismo também. Já existem várias marcas, físicas e online, especializadas em moda agênero. As roupas são lindas, a iniciativa mais linda ainda e o preço cabe dentro do bolso. Confira as dicas das melhores marcas desse segmento pra você conhecer.

• YouCom: @lojayoucom

• Trendt: @trendt

• Pair: @_pair

• Another Place: @anotherplacebrand

• Också: @ocksaofficial

Entendeu? Anotou? Se identificou? Então só resta dar o primeiro passo. A moda agora é vestir a sua personalidade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *